19 | abril
Postagem publicada por: Zapata Lataqueria

Virgem de Guadalupe: a fé de um país, entre a cultura e o sabor

Curitiba, 19 de abril de 2016

Todo bom país possui uma boa padroeira, certo? Aqui no Brasil, Nossa Senhora Aparecida é destaque e figura carimbada na fé e no coração e muita gente. E no México, nosso amado país, você sabe qual é? Deixando a religião de lado – afinal, cada um tem a sua –, vamos incluir um pouco de história e curiosidades sobre a aclamada Virgem de Guadalupe, considerada pelos católicos locais a padroeira da Cidade do México, do México (o país), da América Latina e Imperatriz da América. É “guacamole” ou quer mais? Rs.

Ao contrário de que, aqui no Brasil, a padroeira possui a forma de uma pequena escultura, no México, a Virgem de Guadalupe foi estampada num manto. E essa é a imagem oficial da padroeira.

E tudo aconteceu em nove de dezembro de 1531, na Cidade do México. A Virgem de Guadalupe apareceu ao índio Quauhtlatoazin – mas pode chamá-lo de Juan Diego – e pediu para que ele falasse ao bispo local para que construísse uma igreja em sua homenagem. Em contrapartida, o bispo exigiu uma prova de que a Virgem realmente existia. E assim a fez: “Guadalupe” fez crescer, em pleno inverno, flores numa colina. Ao tirá-las do local, guardadas em um manto, Juan Diego vai até o bispo para provar e, ao abrir, vê que a imagem da Nossa Senhora estava estampada nitidamente naquele pedaço de tecido. Segundo registros escritos, essa é a verdadeira história de sua aparição.

Até hoje, não se tem descoberto nenhum traço de pintura na tela. E pasme: a uma distância de dez centímetros da imagem, você consegue apenas ver a tela de Tilma crua, tecido indígena feito por uma planta chamada maguey.

Estudos para comprovar a autenticidade da imagem foram muitos, mas um, feito pela NASA, em 1979, mostrou que a imagem não era fotografia, impressão ou algo do gênero. A pintura da Virgem de Guadalupe estava a três décimos de milímetros distante da Tilma. Ou seja, não estava colada ao tecido. E isso não é tudo, o que mais intriga os cientistas sobre o manto, até os dias atuais, é com relação aos olhos da Virgem.

Obra humana? Pouco provável. Os olhos da Virgem de Guadalupe possuem oito milímetros de diâmetro e, um deles, consta nada mais nada menos que 13 imagens desenhadas.

Milagre ou não, o que guardamos são informações superlegais e curiosidades da querida padroeira do México, país o qual tanto amamos e nos inspiramos para a criação de nossos pratos deliciosos. Aqui no Zapata, até santo não resiste ao nosso sabor – e a nossa história. Até a próxima!